Quanto à permanência, entre outras ações institucionais, a IES conta com o apoio psicopedagógico para prestar atendimento a sua comunidade acadêmica visando à melhoria da qualidade de seus serviços educacionais, buscando o aprimoramento da formação dos estudantes, minimizando a evasão e promovendo a melhoria da qualidade de vida.

Como dito anteriormente, o apoio psicopedagógico funciona nas dependências da faculdade, em horário específico e pré-determinado, visando a um acesso mais aberto aos alunos e funcionários da instituição.

Para atender as exigências de acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, a FAMAG se estruturou conforme disposto na CF/88, Art. 205, 206 e 208, na NBR 9050/2004, da ABNT, na Lei N° 10.098/2000, nos Decretos N° 5.296/2004, N° 6.949/2009, N° 7.611/2011, Nº 5.773/06 e na Portaria N° 3.284/2003; a IES Para tanto, vem adequando sua infraestrutura física, no sentido de atender às orientações legais; todos os projetos executivos de construção dos espaços devem prever acessibilidade e facilidade de locomoção para portadores de necessidades especiais, com a instalação de elevadores e rampas; Além disso, está prevista a aquisição de equipamentos adaptados, conforme necessário, de modo a atender às demandas de aprendizado específicas desse público. A FAMAG considerando a necessidade de assegurar aos portadores de deficiência física e sensorial, condições básicas de acesso ao ensino superior, de mobilidade e de utilização de equipamentos e instalações, adota como referência a NBR 9050, da ABNT, que trata da Acessibilidade de Pessoas Portadoras de Deficiências e Edificações, Espaço, Mobiliário e Equipamentos Urbanos; a IES contempla ações acadêmicas que viabilizam a inclusão de pessoas com necessidades de atendimento especializado em que se respeite o direito à cidadania, às necessidades de acessibilidade físicas e cognitivas, não apenas com a eliminação de barreiras arquitetônicas, tecnológicas e de mobiliário, mas, objetivando também, a busca de soluções pedagógicas que permitam diferentes percursos de aprendizagem.

A IES também se preocupa com a Acessibilidade Metodológica, ou seja, a eliminação de barreiras pedagógicas para auxiliar no processo ensino aprendizagem, por meio de: Núcleo de Atendimento psicopedagógico para auxiliar acadêmicos com dificuldades de aprendizagem e pessoas com transtorno do espectro autista; softwares Dos Jaws, NVDA, Dosvox e Teclado Amigo que oportunizam pessoas com baixa visão e audição desenvolverem seus estudos, bem como a presença de intérprete de libras quando necessário; Metodologia da Sala Invertida que proporciona o desenvolvimento da autonomia dos estudantes e proporciona condições de aprendizagem diferenciadas; Metodologia Ativa de Aprendizagem com maior interação do acadêmico com as situações-problemas que possam surgir na sua trajetória profissional; Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que disponibiliza textos, fóruns de discussão, chats interativos, práticas simuladas, dentre outros recursos didáticos necessários ao desenvolvimento do conhecimento e consequentemente das habilidades e competências necessárias a formação do perfil desejado; recursos tecnológicos utilizados pelos professores por meio de Laboratórios de Informática para acesso dos acadêmicos, Biblioteca Virtual, Sistema de Controle Acadêmico, Salas de Aulas, dentre outros.

Os vídeos gravados ou utilizados pela Faculdade no ambiente virtual possuem legenda.

A IES conta com um programa de promoção de acessibilidade e inclusão para portadores de necessidades especiais em atendimento ao Decreto nº 5.296/04 e Decreto nº 5.773/06 e Nota Técnica nº 385/2013/CGLNRS/DPR/SERES/MEC, bem como aos portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA), nos termos da Lei n. 12.764/2012. O programa de acessibilidade e inclusão tem por finalidade estabelecer as políticas institucionais destinadas aos acadêmicos, docentes, colaboradores e visitantes das Faculdades Magsul que apresentem algum tipo de deficiência com comprometimento de suas capacidades motoras, visuais, auditivas ou quaisquer outras que necessitem de auxílio na busca por condições igualitárias, bem como aos portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA), visando a eliminar barreiras físicas, de comunicação e de informação que restringem a participação e o desenvolvimento acadêmico e profissional.

A FAMAG procura desenvolver uma política para diminuir barreiras na comunicação interpessoal, na comunicação escrita e na comunicação virtual (acessibilidade no meio digital). Para garantir essa dimensão de acessibilidade, é ofertada na matriz curricular a disciplina LIBRAS e a disciplina de Introdução a Educação a Distância, existe a possibilidade da utilização de textos no computador pelo Programa DOSVOX, textos com letras ampliadas para quem tem baixa visão, uso do computador com leitor de tela, etc.

A plataforma digital disponibiliza vídeos com interpretação em LIBRAS, com equipamentos e programas adequados, de conteúdo e apresentação para deficientes visuais e auditivos com informações em formatos alternativos.

A participação do corpo discente na estrutura acadêmica da FAMAG se faz de duas formas principais: a eleição de representantes de classe e a organização de diretórios acadêmicos vinculados aos cursos. É livre a organização de representações discentes nas Faculdades Magsul.

Os estudantes de cada curso têm autonomia para organizar-se em Diretórios Acadêmicos e/ou Atléticas e a totalidade dos estudantes da IES pode organizar-se sob a forma de Diretório Central de Estudantes.

A atuação das Faculdades Magsul em relação à forma de organização e condução das atividades dos diretórios acadêmicos e atléticas resume-se a zelar pela efetiva representatividade dos alunos nos processos eleitorais. A segunda forma consiste em reuniões constantes entre cada Coordenador e representantes discentes de seus respectivos cursos/turmas.

Cada classe elege, no início de cada ano letivo, um representante que tem por função coletar as análises da turma em relação à condução das aulas, organização do curso, funcionamento das instituições acadêmicas, desempenho de professores, funcionários e gestões. Tais informações e demandas são encaminhadas pelo Coordenador aos respectivos Colegiados de Curso, para análise, deliberações e providências.

Além disso há reuniões entre a Direção das Faculdades Magsul e representantes discentes de seus respectivos cursos, os quais levam à direção da Faculdade as reivindicações e análises referentes a cada curso. Esse mecanismo, institucionalizado e repetido continuamente ao longo dos anos, tem-se revelado um instrumento de grande importância para o aprimoramento da qualidade dos cursos de toda faculdade.