↑ Voltar para Cursos

Agronomia

 
agro alt

Direção Geral: Profª. Drª. Maria de Fátima Viegas Josgrilbert.

Coordenador do Curso de Engenharia Agronómica:

Profª. Me Juliano Lopes

Autorizado pela Portaria nº 199 de 02/06/2016

Duração do Curso: 8 semestres no período diurno

10 semestres no período noturno

Dados da Criação / Autorização:
Portaria MEC n. 161/1999 publicada no D.O.U de 08/02/1999
Reconhecimento:
Reconhecido pela Portaria MEC n° 1.169, de17/04/2002, publicada no DOU n.º 74, de 18/04/2002. Renovação do Reconhecimento pela Portaria SERES/MEC
nº 705 de 18/12/2013, publicada no DOU n. 246 de 19/12/2013.

Documento:  Portaria MEC

 

JUSTIFICATIVA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO

Em um país como o Brasil de grande extensão rural, e em especial no município de Ponta Porã, onde fica situada as Faculdades Magsul, pode-se afirmar que um dos cursos mais importantes para o desenvolvimento econômico é o Curso de Graduação em Agronomia, uma vez que a agropecuária é o potencial da região, tendo uma base agrícola ampla e diversificada. Nesse espaço territorial, o Agrônomo é amplamente requisitado. É ele quem planeja, organiza e dirige todas as atividades que envolvem a produção agrícola, desde o preparo do solo, até a venda de produtos agropecuários.

A proposta é apropriada devido a Instituição possuir infraestrutura básica, com estrutura física e recursos humanos existentes, que devem ser aproveitados, potencializados e ampliados para garantir a qualidade do ensino e atender as demandas educacionais em sua área de abrangência. É importante ressaltar que no Brasil apesar do intenso crescimento observado no ensino superior, nos últimos anos, o percentual de acesso dos jovens é ainda muito restrito – abrange 19% na faixa etária de 18 a 24 anos (PNAD, 2009).

Quando olhamos para os últimos anos da história da nossa região, o cone sul do Estado de Mato Grosso do Sul, encontramos, na base do nosso progresso, um formidável avanço tecnológico na agronomia. Foi ela quem abriu os horizontes de nossa agricultura e, a partir daí, criou o mercado para os produtos industriais e serviços da moderna economia.

As Faculdades Magsul estão inseridas em uma região fronteiriça (Brasil-Paraguai), atendendo, além desse município, outros seis municípios circunvizinhos: Amambaí, Aral Moreira, Antônio João, Bela Vista, Caracol e Coronel Sapucaia.

Dado o desempenho da produção agrícola do município de Ponta Porã, os últimos dados da Secretaria de Estado de Planejamento e de Ciência e Tecnologia (Seplanct) indicam as seguintes colocações em relação aos demais municípios do estado: além de ser o maior produtor de feijão e trigo, é o 2º na produção de amendoim; 3º na produção de girassol; 3º na produção de soja; 4º na produção de aveia; 5º na produção de arroz; 5º na produção de tomate; 7º na produção de melancia; 7º na produção de milho e 10º na produção de banana. A atividade agrícola está intimamente relacionada com a extensão de terras agricultáveis e a tecnologia empregada, de modo a obter a maior produtividade possível.

A pecuária do MS é um dos principais segmentos da economia estadual, sendo sua contribuição ao PIB de R$ 525 milhões, representando 30% do setor primário da economia e 5% do PIB do Estado. O rebanho de MS, com cerca de 22 milhões de cabeças, representa 15% do rebanho brasileiro. Deste rebanho, são abatidas mais de 4 milhões de cabeças por ano, recriadas ou engordadas dentro ou fora do Estado. A produção de carne é de aproximadamente 860 mil toneladas, com um valor de mercado de US$ 1,4 bilhão (IBGE, 2006). A atividade de pecuária bovina em MS é exercida por 39.960 produtores e ocupa uma área de 21.810.708 hectares (IBGE, 2006).

Neste sentido, acreditamos que o curso de Agronomia deve transmitir informações para busca de conhecimentos aos seus alunos de modo que possam praticar uma agricultura que seja ao mesmo tempo sustentável, rentável e competitiva não só por imperativos de justiça social, mas também porque a agricultura, em sua globalidade, tem potencialidades para oferecer uma contribuição muito mais significativa à solução dos grandes problemas mundiais.

O Projeto Pedagógico que ora se propõe para o curso de Agronomia da FAMAG, traduz o desejo da contribuição para a sustentação das prioridades, para superação dos desafios aqui apontados e de outros que as rápidas mudanças da sociedade moderna, em seus avanços tecnológicos, nos mostra no cotidiano da própria prática acadêmica. Assim, as ações do curso serão norteadas pelas aspirações coletivas, em conformidade com as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Agronomia, estabelecidas pelo Conselho Nacional de Educação/MEC e em consonância com o Plano de Desenvolvimento Institucional-PDI da FAMAG. Pretende-se, na condução do curso, garantir uma formação básica e sólida de profissionais com conhecimento técnico e científico em Agronomia, bem como possibilitar a visão crítica dos fenômenos sociais, políticos, econômicos, éticos, culturais e ambientais, de modo que o profissional aqui graduado venha a contribuir com o constante avanço da sociedade e melhoria da qualidade de vida na região.

Integrado a esse contexto, a proposta de criação do curso de Agronomia em Ponta Porã-MS contribuirá sobremaneira para o desenvolvimento desta região, onde a implantação deste curso atenderá à demanda educacional, humana, econômica e social, caracterizando-o como emergencial para o progresso da região. Considerando o crescente processo de inovação e evolução tecnológica de Mato Grosso do Sul, se apresenta tal proposta de curso com o intuito de atender rapidamente à demanda por mais e melhores profissionais qualificados na área que representa a base econômica do município.

 

OBJETIVOS DO CURSO

O Curso de Engenharia Agronómica tem por principal finalidade a formação integral de profissionais apto a compreender e traduzir as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidade, com relação aos problemas tecnológicos, socioeconômicos, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.

 Objetivo Geral:

O Curso de Agronomia da FAMAG pretende formar Engenheiros Agrônomos com capacidade técnico-científica e responsabilidade socioambiental aptos a promover, orientar e administrar a  utilização e otimização dos diversos fatores que compõem os sistemas de produção, transformação e comercialização, em consonância com os preceitos de conservação ambiental, além de planejar,  pesquisar e aplicar técnicas, métodos  e  processos adequados à solução de problemas e à promoção do desenvolvimento social e ambiental sustentável, capaz de intervir na realidade do indivíduo, em busca de uma melhor qualidade de vida.

Para que este objetivo seja alcançado ele é dividido em objetivos específicos, que se tornam os objetivos das disciplinas. O importante é que esses objetivos sejam traçados pelos professores para que se transformem em competências e habilidades construídas pelos alunos ao longo do curso.

 Objetivos específicos:

            Planejar e dirigir serviços relativos à engenharia rural, abrangendo máquinas e implementos agrícolas, irrigação e drenagem, construções rurais, geodésia, topografia e geoprocessamento;

Elaborar, coordenar e executar projetos que visem a implantação de métodos e práticas agrícolas com a finalidade de explorar de modo sustentável os sistemas de produção vegetal, abordando aspectos de melhoramento vegetal, práticas culturais, experimentação, ecologia e climatologia agrícolas;

Planejar, coordenar e executar projetos de produção animal, abordando o melhoramento, manejo e nutrição;

Planejar, executar, supervisionar e orientar programas para o manejo e controle de doenças, pragas e plantas daninhas à produção vegetal;

Planejar, coordenar e executar programas referentes à ciência do solo, nas áreas de gênese, morfologia, classificação, fertilidade, biologia, microbiologia, uso, manejo e conservação;

Planejar, orientar, executar e supervisionar a implantação, produção e manejo de espécies florestais, nativas e exóticas, bem como o estabelecimento de viveiros florestais;

Planejar, coordenar e executar projetos e ações de caráter socioeconômico, bem como desenvolver a consciência e responsabilidade social, utilizando-se dos conhecimentos da sociologia, comunicação, política, economia, administração, comercialização, legislação e educação, a fim de promover a organização e a busca pela qualidade de vida da população;

Analisar, avaliar, orientar e fiscalizar o processo de produção, beneficiamento e conservação de produtos de origem animal e vegetal;

Planejar e desenvolver atividades de gestão ambiental relacionadas aos recursos naturais renováveis e não renováveis;

Gerar e difundir conhecimentos, métodos e técnicas de produção e administração, envolvendo o ensino, a pesquisa e a extensão na área da agronomia;

Atuar no âmbito da agricultura familiar buscando a sustentabilidade, com ênfase no enfoque agroecológico e na proteção ambiental.

Com estes objetivos, o curso proposto visa formar um profissional consciente dos problemas do planeta e do papel social de sua profissão no contexto da sociedade, possuindo uma atitude reflexiva, questionadora, crítica e equilibrada perante a mesma e com a consciência voltada ao equilíbrio do ecossistema. Para tanto, deve ter como base o conhecimento dos conteúdos necessários a sua formação profissional no campo da engenharia agronômica, o desenvolvimento do seu pensamento reflexivo, para relacionar a teoria com a prática, com a finalidade de ser capaz de ousar novas práticas, necessárias às mudanças, tendo como base os conhecimentos acumulados pela humanidade, tendo consciência dos problemas da atualidade, objetivando um futuro melhor.

PERGUNTA CONDUTORA

Pergunta Condutora do Curso:

 

Qual é o papel econômico e socioambiental do engenheiro agrônomo na fronteira de MS para a melhoria da qualidade de vida da população?

 

A proposta do curso é que todas as disciplinas objetivem responder à pergunta acima, tendo como referencial um projeto comum que procura compreender a realidade profissional da região, nas dimensões: presente, passado e futuro (presentes no design metodológico), pela observação, descrição, reflexão e análise do campo de trabalho do agrônomo e dos procedimentos profissionais que são preponderantes, no campo da Agronomia, na região onde fica situada a faculdade. Região esta, que apresenta uma série de especificidades, por ser uma região de fronteira seca, entre dois países com costumes diferenciados e ao mesmo tempo complementares, cuja base econômica é o agro-negócio.

A proposta do curso é que todas as disciplinas tenham um eixo norteador, levando-as a responder a pergunta condutora do curso, buscando fazer com que o acadêmico almeje a melhoria da sustentabilidade e da qualidade de vida na região, sendo necessário para isso, o conhecimento da realidade local, da teoria básica do campo científico e das políticas locais que envolvam essa melhoria.

 Atuação Profissional do Agrônomo

As habilidades e competência a serem adquiridas e desenvolvidas pelo egresso do Curso de Agronomia permeiam:

Projetar, coordenar, analisar, fiscalizar, assessorar, supervisionar e especificar técnica economicamente projetos agroindustriais e do agronegócio, aplicando padrões, medidas controle de qualidade;

Realizar vistorias, perícias, avaliações, arbitramentos, laudos e pareceres técnicos, com condutas, atitudes e responsabilidade técnica e social, respeitando a fauna e a flora e promovendo a conservação e/ou recuperação da qualidade do solo, do ar e da água, com uso de tecnologias integradas e sustentáveis do ambiente;

Atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário interagindo e influenciando nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas setoriais;

Produzir, conservar e comercializar alimentos, fibras e outros produtos agropecuários;

Participar e atuar em todos os segmentos das cadeias produtivas do agronegócio;

Exercer atividades de docência, pesquisa e extensão no ensino técnico profissional, ensino superior, pesquisa, análise, experimentação, ensaios e divulgação técnica e extensão;

Enfrentar os desafios das rápidas transformações da sociedade e do mercado de trabalho, adaptando-se às situações novas e emergentes.

 

Você sabia?

- É comemorado em 12 de outubro o Dia do Engenh

ESTETICA LOGO

Aniversariantes do mês

Ver página »

Atuação Profissional do Agronomo

O engenheiro agrônomo é um profissional com competências de conservar e transformar o ambiente natural para produzir plantas e animais úteis ao homem. Estas competências se referem à agronomia que é uma combinação de ciências exatas, naturais, econômicas e sociais. As principais funções do engenheiro agrônomo são de comunicar, divulgar ou experimentar os princípios, as …

Ver página »

Calendário 2017

Ver página »

Colegiado do Curso

Colegiado de Curso Prof. Dr Luiz Felipex Alves da Cunha Carvalho Prof. Me. Juliano Lopes Profª. Ma. Kelcilene Azambuja Martinez Marcos Douglas da Rosa Chimenes (representante discente). Secretária: (67)  3437 – 3838 Telefone para contato: (67) 3437 – 3825

Ver página »

Coordenadora Eunice

Corpo Docente Atual 2017

Corpo docente de Agronomia Coordenador Juliano Lopes Bruna Bobato Serejo Mestra Caroline do Amaral Polido Doutora Célio Sakai Especialista Edilene da Silva Dias Mestra Juliano Lopes Mestre Kelcilene Azambuja Martinez Mestra Luiz Alberto Esquivel Especialista Luiz Felipe Alves da Cunha Carvalho Doutor Sergio Larruscaim Mathias Mestre Wesley Alves Martins Doutor Núcleo Docente Estruturante do curso de Engenharia …

Ver página »

Ementa do curso

EMENTA DA MATRIZ 2015 – NOTURNO

Ver página »

Galeria de Fotos

Ver página »

Horários

Ver página »

Informações sobre o Curso

Ver página »

Matriz Curricular Agronomia

 Ingressantes no Curso Matriz de Agronomia - DIURNO - 4 anos Matriz de Agronomia - NOTURNO - 5 anos  

Ver página »

Monitoria 2017

Ver página »

Projeto Extensao Agronomia

Ver página »